Desolação

Quis confessar meus pecados.

Olhei para trás.

Percebi que eles calçavam a estrada por onde andei.

Continuei a caminhada, silenciosamente!

E vivi a desolação de não sentir lágrima alguma escorrer!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A relação entre arte e filosofia

O mito da caverna interpretado por Marilena Chauí

A mão amada