Conceito de Paideia

Conceito de Paideia

Paideia
Mas, se até então o objectivo fundamental da educação era a formação do homem individual como kaloskagathos, a partir do século V a. C., exige-se algo mais da educação. Para além de formar o homem, a educação deve ainda formar o cidadão. A antiga educação, baseada na ginástica, na música e na gramática deixa de ser suficiente.
É então que o ideal educativo grego aparece como Paideia, formação geral que tem por tarefa construir o homem como homem e como cidadão. Platão define Paideia da seguinte forma "(...) a essência de toda a verdadeira educação ou Paideia é a que dá ao homem o desejo e a ânsia de se tornar um cidadão perfeito e o ensina a mandar e a obedecer, tendo a justiça como fundamento" (cit. in Jaeger, 1995: 147).


1) Que elementos da educação grega antiga poderíamos destacar como interessantes para refletirmos sobre os ideais gregos de formação humana? 
Destacaria como interessantes a busca pela excelência como homem e como cidadão, tendo como fundamento a justiça, resultando no conceito de Paideia. Isso porque, em minha percepção, é esse conceito que leva o ser humano a atingir seu potencial supremo, ou seja, desenvolver a si próprio, mas não só isso: desenvolver-se também como cidadão, ou seja, tendo em vista a coletividade na qual ele está inserido e seus interesses maiores. Mais ainda do que o próprio desenvolvimento e o desenvolvimento visando relações com outrem, há a busca para que essas relações sejam justas, ou seja, busca-se o equilíbrio necessário ao pleno desenvolvimento do homem como um todo, e não apenas de suas habilidade heroicas. A busca pela beleza, se isso tende a formar relações injustas, o homem desenvolve-se suprimindo a capacidade de outros de fazerem o mesmo, ou ao menos os prejudicando. Poderia haver aí um conceito de cidadania que, embora baseada em relações injustas, ainda assim seria considerada cidadania. Mas ao guiar-se pela justiça, o homem educando (uma vez que ele não para de se educar) exercita sua cidadania sem ter em vista apenas a autopreservação, mas a construção de relações de preservação mútuas, dando um sentido verdadeiro para o termo cidadania.
2) Que elementos da educação grega antiga destacaríamos como importantes para meditarmos sobre os nossos próprios ideais de formação humana? Eu destacaria os mesmos elementos que destaquei acima, porque acredito que eles sejam capazes de formar sujeitos em sua plenitude, ou seja, homens e cidadãos de verdade. Aqui beiramos até um “tipo ideal” de sujeito, alguém que não existe. Mas é justamente a visada a esse tipo ideal que promove a baliza que o homem utiliza para elevar-se à condição de eterno aprendiz em busca da perfeição, inclusive ética. Embora certamente existam problemas decorrentes dessa busca por um “tipo ideal” de cidadão, é o modelo grego aquele que trás à plenitude a capacidade de desenvolvimento humano, e não super-humano, supra-humano. Ou seja, a formação humana deve ser baseada no “possível” – apresentada pelos gregos – e não no desejável – criando opções inatingíveis.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A relação entre arte e filosofia

A mão amada

O mito da caverna interpretado por Marilena Chauí