Reorganização escolar: por que não?!

Por todo o estado de São Paulo, escolas públicas estaduais estão sendo ocupadas por alunos em protesto contra a reorganização escolar que o governador Geraldo Alckmin (PSDB) está tentando efetuar no estado.  A proposta tucana é de separar os estudantes por ciclos e fechar 93 escolas, afetando a rotina de pelo menos 311 mil alunos.

Segundo o secretário de Educação de São Paulo, Herman Voorwald, o plano pode fechar até mil escolas, isso atingiria 2 milhões de estudantes. Atualmente a rede estadual conta com 5.108 escolas e 3,8 milhões de alunos. A mudança pode transferir boa parte dos alnos para escolas até 1,5 quilômetro mais distantes de onde estudam atualmente.

10 motivos contra a reorganização escolar (do site Esquerda Diário):

1- O projeto de reorganização escolar mudará a vida de todos, porém não foi debatido com professores, pais, alunos e funcionários das escolas de forma democrática. Fomos informados pela televisão e nosso destino será definido por decreto.

2- O objetivo central da “reorganização” é corte de verbas. Centenas de escolas serão fechadas, já que o remanejamento de mais de 1 milhão de alunos é concentrar a demanda em determinadas unidades de ensino e fechar outras.

3- Os professores temporários serão demitidos, pois haverá ainda menos aulas para atribuir.

4- Trabalhadores terceirizados da merenda e limpeza, que possuem contratos de trabalhos mais frágeis, também serão demitidos.

5- Mais alunos por sala de aula. A realidade de aulas lotadas será ainda pior.

6- A reorganização é uma preparação para abrir a escola pública ainda mais para a iniciativa privada. Com a municipalização do ensino fundamental, parcerias públicos privadas na gestão escolar poderão ser implementadas.

7- Os alunos terão que estudar até 1,5 km da escola de origem, o que significa 3km entre uma escola e outra (se cada uma tiver na ponta do diâmetro) e em linha reta. Isso dificultará enormemente para os pais que tem filhos em ciclos diferentes.

8- Aumenta a evasão escolar, principalmente no ensino noturno, já muitos alunos organizam sua vida em função do trabalho, estudam até as 23hs e acordam muito cedo.

9- Reduzirá oferta pelo ensino noturno e os cursos de EJA ou torná-los extremamente precários.

10- Com o ensino em ciclos divididos por escola, a implementação do Ensino em Tempo Integral e a flexibilização do currículo serão facilitados, retirando disciplinas e esvaziando a escola de conteúdo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A relação entre arte e filosofia

O mito da caverna interpretado por Marilena Chauí

A mão amada